quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O sábio esquecido

Ec 9.13-18
Imagine um fato desse, um homem pobre que livra uma cidade toda de ser saqueada e todos os cidadãos de serem escravos de um grande rei com o seu grande exército.
Primeiro aprendo com o que o escritor do texto aprendeu quando viu esse fato, aprendo com que já avia aprendido. Como aprender com quem nunca aprendeu? Como aprender com quem não sabe ensinar? Em contra partida também, como ensinar quem não quer aprender? Complicado ou não!
Na época de Salomão filho de Davi ouve um acontecimento de grande aprendizado para o rei que presencia o fato.
Numa pequena cidade com poucos homens, inesperadamente vem contra ela um grande exército liderado pelo seu rei.
Tomada e cercada a cidade toda, rendida pelo alvoroço, imposição de medo e afronta dos que podem mais e choram menos. Imaginem o pânico dos moradores desse lugar?
Nos sentimos exatamente assim quando a força contrária nos faz recuar, aceitar a imposição oposta, nos render diante de tão forte adversário que oprime.
O patrão que manda e obedece quem tem juízo, a politica que pinta, borda e mancha o que tentamos lavar com a água suja e cara da Sabesp, a enxurrada de péssimas músicas brasileiras que diz que temos que dançar, esquecer e ser feliz, o namorado que põe a jovenzinha virgem apaixonada conta a parede e diz; Ou transa comigo ou eu vou transar com outra! ...e por aí vai...e vai longe. Para o mais forte e mais esperto quando está em vantagem o melhor é impor e jamais propor.
Não sei se de sua casa, do trabalho, de um mercadinho ou de qualquer canto daquela cidadezinha um homem pobre porém muito sábio vai ao encontro do grande exército e seu rei.
Com certeza o homem anônimo foi contra o tão temível adversário com uma arma muito mais poderosa que lanças, arcos e flechas, espadas, escudos e armaduras, ele usou a sua sabedoria com uma pitada forte de ousadia.
Nem todo sábio é ousado e nem todo ousado é sábio! Se uma pessoa sábia pode fazer uma boa diferença, imagine um "SÁBIOUSADO" Que dupla dinâmica!
Por outro lado existe também um texto do mesmo escritor em Pv 17.28 "Até o tolo quando se cala é tido por sábio" Concluo que aqueles que não tem o que falar calense, renda-se e sejam sábios pelo menos no silêncio! Não foi o caso desse pobre e sábio homem.
Os pobres pensam que não podem nada, que não tem oportunidades, não tem chances, não são capazes etc, 90% deles são desmotivados e murmuradores vivem a reclamar de tudo e todos e não perdem oportunidades por que nem foram atras de uma, mais existem exceções nas pequenas e grandes cidades.
Somos tendenciosos a pagar tudo na mesma moeda, mau com o mau, raiva com raiva, ódio com ódio, traição com traição, violência com violência e no final da liquidação o preço sai caro.
Não sabemos o conteúdo da conversa entre o sábio pobre e o rei poderoso, mais podemos imaginar que foi um bom diálogo, a ponto do plano de escrevidão ser abandonado. A cidade é livrada mais tempo depois o homem sábio é esquecido.
Martinho Lutero menciona a história de Temístocles, o soldado e estadista que comandou a tropa ateniense.  Através de sua estratégia, ele venceu a Batalha de Salamina, expulsou o exército persa do território grego e salvou a sua cidade. Poucos anos depois, caiu no ostracismo, foi odiado pelos cidadãos e banido de Atenas. Portanto, conclui Lutero: “Temístocles fez muitos benefícios para sua cidade, mas recebeu muita ingratidão.”
Quantas vezes já esqueceram de nós por muito pouco ou por uma misera frase; "Quem não é visto não é lembrado".
E mesmo assim a sabedoria é melhor que a força, ainda que a sabedoria do pobre é desprezada e se esquecem dele.
Concluindo o fato ocorrido o escritor deixa uma frase para se pensar e por em pratica; "As palavras dos sábios ouvidas em silêncio valem mais do que os gritos de quem governa entre tolos".
Mesmo se formos esquecidos por todos da nossa cidade de todos os benefícios que fizemos ao próximo, terá alguém de longe ou de fora que testemunhará de nós e registrará na história o que fizemos ao outro.
A cidade desse homem se esqueceu dele, mais foi lembrado por Salomão que aprendeu e registrou para toda humanidade ao seu respeito.
A sabedoria é bem melhor que as armas de guerra, e se aliada a obediência a Deus?
Melhor se esquecido por ter feito o bem, do que sempre ser lembrado por ter feito mau aos outros.
Deus justificará os justos sábios Dele, ainda que eles sejam esquecidos, serão lembrados com seus nomes escritos no Livro da Vida.
Enquanto isso os sábios são esquecidos.


Cacau Siqueira 
   


4 comentários:

Maluco linda percpção sem palvaras... Sou edificado e aprendo a ser melhor com vc.
Deus me ama sei disso pois me permiti encontrar coisas boas nesse mundo doido.

Postar um comentário